Segurança
18/09/2018 15:58:46, escrita por Greice Scotton Locatelli

Faltando mais de três meses para o final do ano, 2018 supera número de homicídios do ano anterior

O ano de 2018 se confirmou como o mais violento da história de Bento Gonçalves. O 36º caso do ano aconteceu no final da manhã da última terça-feira, dia 18, mais uma vez no Residencial Novo Futuro, bairro Ouro Verde. Desde o início do ano, foram seis mortes no local. A vítima, Cenair Nunes, de 20 anos, foi morta a tiros em uma área próxima ao bloco K. Segundo a Brigada Militar, ele tinha antecedentes por roubo a estabelecimento comercial e passagens como adolescente infrator.

Durante o final de semana, no bairro Eucaliptos, outro caso havia sido registrado. Na madrugada de domingo, dia 16, um jovem de 23 anos de idade foi morto a tiros na rua Ari da Silva, bairro Eucaliptos. A vítima foi identificada como Jean Carlos Paida. De acordo com a Brigada Militar, o crime foi descoberto por volta das 5h, quando uma denúncia anônima via 190 informou que havia um homem caído no chão atingido por vários disparos.

Natural de Chapecó (SC), Paida tinha várias passagens tanto pela polícia gaúcha quanto catarinense, de acordo com a Brigada Militar. Entre os crimes pelos quais foi acusado estão porte ilegal de arma de fogo, ameaça, disparo de arma de fogo, tráfico de drogas, lesão corporal e roubo (em Santa Catarina) e receptação, furto de arma, homicídio doloso, furto de veículo, roubo a posto de combustível e porte ilegal de arma de fogo (no Rio Grande do Sul). Ele era conhecido pela alcunha de Chacal e estava em prisão domiciliar desde a última sexta-feira, dia 14.

Números preocupam

Com os dois casos da semana, o número de homicídios chegou a 35 no ano, uma a média de uma morte desse tipo a cada 7,4 dias. Se computado também o latrocínio (quando a morte ocorre em razão de roubo ou tentativa) ocorrido no último dia 6, os assassinatos chegam a 36.



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários deixados pelos leitores e adverte que o conteúdo pode ser reproduzido em reportagens. O teor das mensagens está sujeito a moderação.



Curta o SERRANOSSA