Segurança
01/10/2019 14:33:13, escrita por Greice Scotton Locatelli

Estatísticas apontam redução significativa da criminalidade em Bento Gonçalves

O ano de 2018 teria sido exemplar em termos de segurança pública em Bento Gonçalves não fossem os índices recordes de homicídio. No levantamento das ações do ano, divulgado na última semana pelo 3º Batalhão de Policiamento de Áreas Turísticas (3º Bpat), os 52 assassinatos registrados são a única estatística negativa do ano passado – todos os outros crimes tiveram redução, ao mesmo tempo em que cresceu o número de prisões, assim como as apreensões de drogas e armas. 

“A avaliação de dados estatísticos, positivos ou negativos, serve para análise do fenômeno criminal e definição de estratégias para uso mais apropriado dos recursos que temos. Nesse sentido, vemos com satisfação que os planejamentos realizados resultaram na diminuição de vários crimes, principalmente roubos. No entanto, o número recorde de homicídios e o fato de ter ocorrido também um latrocínio na cidade nos preocupa bastante. Sabemos que os homicídios têm grande relação com o tráfico de drogas e disputa por territórios. Por conta disso, manteremos nossos trabalhos de prevenção criminal, inteligência e repressão qualificada no combate ao tráfico e associações criminosas”, detalha o capitão Diego Caetano, comandante da 1ª Companhia do 3º Bpat. 
 

 


 

Quedas expressivas

Na comparação entre 2017 e 2018, algumas ocorrências tiveram quedas bem expressivas: caso dos roubos a pedestre, que caíram 47,5% – foram 290 ocorrências em 2017 contra 152 no ano passado – e de furto/arrombamento (-39,94%). Houve ainda redução nos roubos de veículo e a residência (-27,5% e -26,3%, respectivamente). “A Brigada Militar utiliza métodos de análises e soluções de problemas conduzidos pelo programa ‘Avante’, através dos quais os recursos são utilizados de forma estratégica, aliados a serviços de prevenção e inteligência policial, bem como a operações de repressão qualificadas, principalmente no combate ao tráfico de drogas, que culminaram na prisão de muitos traficantes e apreensão de grande quantidade de drogas”, comenta o capitão. No geral, em 2018 a BM prendeu 260 pessoas, sendo 95 foragidos, 131 envolvidos em tráfico de drogas (79 traficantes e 52 usuários) e 34 por roubo.

Dezembro

Segundo a Brigada Militar, dezembro foi o mês mais positivo em relação aos índices criminais. Com exceção de roubo a residências, com dois casos registrados contra nenhum no ano anterior, todos os demais crimes tiveram redução acima de 60% se comparados ao mesmo período de 2017. O número mais expressivo é o de roubo a pedestres, que passou de 23 casos em 2017 para 4 no ano passado, uma queda de 82,6%.

Operação Dissolutio

Uma das ações que fez a diferença nos índices em 2018 foi a Operação Dissolutio. Nos meses de setembro, outubro e novembro, o 3º Bpat contou com apoio das Patrulhas Especiais (Patres) do 1º Batalhão de Operações Especiais (BOE) de Porto Alegre. Foram 97 prisões realizadas (alguns acusados foram detidos por mais de um crime), além de apreensões significativas de drogas.

 


 

Números (2017 x 2018)

Prisões (tráfico)
2017: 136 
2018: 173
+ 27,21%

Drogas apreendidas (crack, cocaína, maconha e drogas sintéticas)
2017: 5,8kg
2018: 36,7kg
+ 500%

Armas apreendidas (revólveres, pistolas, espingardas, fuzis e metralhadoras)
2017: 61 
2018: 119
+ 95,08%
 


 



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários deixados pelos leitores e adverte que o conteúdo pode ser reproduzido em reportagens. O teor das mensagens está sujeito a moderação.



Curta o SERRANOSSA