Segurança
19/03/2019 11:29:59, escrita por SERRANOSSA

Júri envolvendo PMs acusados da morte de jovem de Bento em Caxias segue nesta terça-feira

O Júri Popular do caso Lucas Raffainer Cousandier – bento-gonçalvense morto aos 19 anos com tiro na cabeça após uma perseguição da Brigada Militar em Caxias do Sul em 2016 – continua nesta terça-feira, dia 19. Os trabalhos começaram ainda na segunda-feira, dia 18, quando mais de 20 pessoas foram ouvidas. Os indiciados são três policiais militares do 12º BPM: Emerson Tomazoni, Gabriel Ceconi e Devilson Soares. O depoimento deles encerrou por volta de 22h15.

Durante o dia foram ouvidas testemunhas de acusação, defesa e autoridades, entre elas o comandante do 12º BPM, tenente coronel Emerson Ribas, e o delegado Rodrigo Kegler Duarte, titular da DPHPP. Foi ele que conduziu as investigações que resultaram no indiciamento dos três policiais pela morte de Lucas Raffainer Cousandier, e de outros policiais por delitos conexos.

Os três policiais também respondem por dupla tentativa de homicídio contra Felipe Veiga e Tiago Signor, que estavam no carro em que Lucas morreu, após ser atingido por um tiro na cabeça. O caso aconteceu no dia 4 de fevereiro de 2016, por volta das 3h30, na Avenida Perimetral Bruno Segala.

Na segunda, destaque para o depoimento do soldado Emerson Luciano Tomazoni, que era o policial mais antigo na guarnição envolvida na ocorrência, que esteve em perseguição ao veículo das vítimas por 15 quilômetros, desde o Parque Cinquentenário até as imediações da Igreja São Francisco, no bairro Kayser.

Tomazzoni contou como tudo ocorreu, e assumiu totalmente a responsabilidade pela decisão e iniciativa de fraudar o local do crime. Os militares tentaram imputar aos jovens a culpa no episódio, por supostamente terem atirado contra os policiais que, então, supostamente teriam reagido. Ele ainda revelou que tiros foram disparados para impedir a fuga dos jovens, após sofrerem um acidente no carro em que estavam.

O depoente e os outros dois colegas trataram o episódio como uma grande fatalidade. Tomazoni ainda disse que, sozinho, fraudou a ocorrência, atirando contra a viatura e usando arma que havia apreendida de um suspeito de tráfico de drogas, no bairro Planalto Rio Branco, no dia anterior. Ele pediu desculpas à família de Lucas, ao comando do 12º BPM e aos colegas brigadianos.

A sessão foi interrompida por volta das 23h de segunda e retomada às 8h desta terça. No segundo dia, vão ocorrer os debates entre o representante do Ministério Público, o promotor Eugênio Paes Amorin, e os advogados de defesa - Christian Trombini, Ivandro Bitencourt Feijó, Mauricio Custódio Adami e Ricardo Cantergi. O Conselho de Sentença é composto por cinco homens e duas mulheres.

As informações são da Rádio Caxias



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários deixados pelos leitores e adverte que o conteúdo pode ser reproduzido em reportagens. O teor das mensagens está sujeito a moderação.



Curta o SERRANOSSA