Vida & Estilo
27/01/2012 14:44:28, escrita por SERRANOSSA

Medicina ortomolecular: emagreça comendo bem

Equilibrar deficiências de vitaminas na dieta pode facilitar perda de peso e prevenir doenças

Quem já tentou vários recursos para emagrecer, mas não conseguiu sucesso em nenhum, pode estar enfrentando falta de alimentos saudáveis e nutritivos. Uma alternativa é a nutrição ortomolecular, que foca no equilíbrio de todas as células do corpo. Através de exames e testes, alguns feitos no consultório, o médico detecta as carências de vitaminas e minerais e receita um tratamento adequado para cada paciente. Com o equilíbrio das deficiências na alimentação, a pessoa se torna mais nutrida, facilitando a perda de peso gradual e saudável, além de prevenir outras doenças.

A médica Neiva Milani, especialista em homeopatia ortomolecular que atende em Caxias do Sul, diz que o tratamento para redução de peso consiste em equilibrar déficits nutricionais, que provocam o desejo desenfreado por alguns alimentos muito calóricos. “A pessoa precisa aprender a fazer escolhas alimentares pela qualidade e não pela quantidade”, recomenda.

A médica explica que quem consome muitos doces ou carboidratos refinados desenvolve um processo alimentar vicioso e pouco nutritivo, com baixa sensação de saciedade e muito acúmulo de gordura. Com a alimentação viciada, a pessoa continua sempre com fome e quanto maior for a deficiência do organismo, maior a ansiedade por comida. Por isso é necessário que a pessoa esteja bem nutrida durante a dieta.

Neiva explica que, com o tempo, as pessoas passam a apresentar carências de minerais, vitaminas e outras substâncias a serem supridas, mas paralelamente a isso, ocorre também o acúmulo de uma grande quantidade de radicais livres, metais pesados e elementos tóxicos nas células. E esta combinação, entre a falta de certas substâncias importantes e o excesso de outras nocivas, é que normalmente dá origem a muitas doenças, inclusive a obesidade.  

A medicina ortomolecular opera com tecnologias específicas, tais como o Vega Teste, que é feito no próprio consultório e é capaz de identificar tanto deficiências nutricionais como elementos tóxicos ou mesmo alimentos que estejam causando alergias no paciente.

Uma das maneiras de perder peso de maneira saudável, segundo a medicina ortomolecular, é identificar alimentos que o organismo não tolera. Neiva explica que a alergia alimentar pode causar aumento de peso, pois na maioria das pessoas ocorre um desejo desenfreado pelos alimentos que são reativos, criando assim uma compulsão por comida e um real aumento de peso.

Além disso, a ingestão de alimentos não tolerados leva ao traumatismo da parede intestinal, com aumento dos poros e da permeabilidade da mucosa. Como conseqüência, diminui a seletividade natural do intestino, permitindo a passagem de substâncias que deveriam ser barradas e predispondo a obesidade.

Outro fator que contribui para o aumento de peso é a formação de complexos antígeno-anticorpo, através de mecanismos que envolvem alergia tardia, que ativam vias inflamatórias generalizadas com consequente acúmulo e retenção de líquidos. “Com a retirada dos alimentos alergênicos, ocorre a perda de peso saudável e gradativa pelo controle do desejo patológico por comida e pela correção da retenção de líquidos”, explica a especialista. 

Depois dos 30

A partir de mais ou menos 30 a 35 anos, o organismo começa a diminuir o seu metabolismo, principalmente por que os níveis de hormônios vitais começam a cair e o ser humano passa a experimentar uma aceleração em todos os processos de envelhecimento.

 Por outro lado, o excesso de industrialização dos alimentos e o esgotamento de nutrientes do solo fazem com a maioria das pessoas, aparentemente saudáveis, sofram de múltiplas deficiências nutricionais, vitamínico-minerais e hormonais profundas e que muitas vezes não produzem qualquer sintoma, mas que contribuem para acelerar o envelhecimento.

 Além disso, os maus hábitos da vida moderna como sedentarismo, fumo, obesidade e estresse, aliam-se aos fatores orgânicos, tornando as pessoas vulneráveis às doenças. “O estilo de vida que cada um decide adotar responde por mais de 70% da longevidade”, diz a especialista.

Uma pessoa sedentária, obesa, estressada e com deficiências hormonais e nutricionais, pode ter até 30 anos de vida a menos. Então, vale a pena a pena investir numa nutrição saudável, não apenas para perder peso, mas para viver mais e melhor. 

Recomendações para cada refeição

Carboidratos integrais (frutas, grãos, verduras, legumes e farináceos integrais): 40%;

Proteínas (carnes magras, leite desnatado, iogurte desnatado, queijos magros, leite de soja, iogurte de soja, ovo caipira, clara de ovo desidratada, concentrado de proteínas, gelatina sem sabor e proteína de soja): 30%;

Gordura saudável (azeite de oliva extra virgem, amendoim, castanha de caju, castanha do Pará, abacate, azeitonas e nozes): 30%.

 

Siga o SerraNossa!

Twitter: http://www.twitter.com/serranossa

Facebook: Grupo SerraNossa




Curta o SERRANOSSA