Vida & Estilo
29/06/2012 11:20:03, escrita por SERRANOSSA

Triglicerídeos sob controle

O nível alto da substância no sangue está associado a um aumento no risco de doenças do coração

O nome é complicado e os efeitos na saúde mais ainda. Os triglicerídeos se formam com o excedente de farinhas e açúcares que entram na corrente sanguínea criando pequenas bolinhas dentro das veias, capazes de aumentar o risco de doenças do coração, entre outras. Mas é preciso cuidado para não confundir triglicerídeos com colesterol. 

A nutricionista Joceli Carrard, de Caxias do Sul, explica que os triglicerídeos são um tipo de gordura proveniente da ingestão de carboidratos farináceos e da própria gordura saturada, além de açúcares. Assim, ele está presente em cerca de 90% da alimentação, enquanto o colesterol pode ser encontrado em apenas 10% dos alimentos ingeridos. “A pessoa pode comer de tudo, mas com moderação, e conciliando atividades físicas, para queimar os excessos de impurezas que se acumulam no sangue”, diz.

Para estar dentro do limite, o nível de triglicérides não deve ultrapassar 200mg/dl. A medição é feita por um exame de sangue específico prescrito por um médico. O controle da taxa dessa substância no sangue pode ser feito por meio do combate ao excesso de peso, diminuição do consumo de alimentos ricos em gordura saturada e colesterol ruim, uma alimentação balanceada, prática de exercícios físicos, principalmente aeróbicos e o consumo moderado de bebidas alcoólicas.

Outra dica da profissional para eliminar as impurezas do sangue é beber muita água. Um bom aliado é o azeite cru, que pode ser usado em saladas, por exemplo. “Duas colheres de chá de azeite cru é o recomendado para uma boa saúde, mas é importante destacar que qualquer azeite aquecido se torna gordura saturada, que não é saudável e deve ser consumido com moderação”, destaca.

Além do azeite, alimentos ricos em ômega 3, como o salmão, gorduras saudáveis como nozes, abacate, castanha e amendoim são indicados para o consumo diário, pois aumentam o colesterol bom e ajudam a limpar o sangue.


Evite ou consuma com moderação:
doces, frituras, batatas fritas, alimentos à milanesa, pastel, salgadinhos, manteigas, margarina, pães brancos, queijos amarelos, leite integral, bebidas alcoólicas ou refrigerante;

Prefira: frutas, alimentos assados, grelhados ou cozidos, azeite de oliva cru, carne sem gordura, peixes, pão integral, queijo branco, suco de frutas e água de coco.


Dicas para baixar e controlar o nível de triglicerídeos:

* Carboidratos: dieta com baixo teor de carboidratos, tais como massas, batata e biscoitos;

* Exercícios: aliar uma dieta equilibrada à prática de exercícios físicos, de preferência aeróbicos, é a melhor maneira de combater o alto nível de triglicerídeos;

* Álcool: bebidas alcoólicas são altamente calóricas, estimulando a produção de triglicerídeos e por isso, devem ser evitadas. Uma latinha de cerveja, por exemplo, tem 147 calorias; uma taça de vinho tinto seco, 107 e uma única dose de uísque, 240 calorias;

* Ômega três: peixes, como salmão e atum, são alimentos ricos em ácidos graxos ômega 3, uma gordura insaturada, que reduz o nível de triglicérides do sangue. Assim, seu consumo sempre deve ser priorizado quando a outra opção for uma carne vermelha. Lembre-se, apenas, de preparar o peixe de forma que ele fique com baixo teor de gordura, sendo a melhor alternativa grelhá-lo;

* Açúcar: os doces devem ser controlados, pois estimulam a produção de triglicerídeos pelo fígado. Além disso, há um depósito dessa gordura no pâncreas que atrapalha o funcionamento das células de insulina, fazendo com que a taxa de glicose no sangue também aumente;

* Cigarro: o tabagismo aumenta os riscos de doenças cardiovasculares e diabetes, sendo um hábito prejudicial que potencializa os prejuízos causados pela alta taxa de triglicerídeos no sangue. Assim como o açúcar, ele causa resistência de insulina devido ao acúmulo de gordura no abdômen.

 
Reportagem:Alexandra Duarte


Siga o SERRANOSSA!

Twitter: @SERRANOSSA

Facebook: Grupo SERRANOSSA




Curta o SERRANOSSA