Vida & Estilo
31/08/2012 11:48:15, escrita por SERRANOSSA

Produtos de limpeza podem ser agressivos à saúde

Confira algumas dicas para limpar a casa de forma natural, evitando efeitos nocivos

Hoje em dia são utilizados muitos produtos industriais para a limpeza doméstica. Porém, quase sempre não se tem noção da quantidade de substâncias químicas nocivas à saúde que compõem essas fórmulas. Alguns nomes até são sugestivos a uma limpeza poderosa: superconcentrado, furacão disso, poder daquilo, entretanto, não são devidamente ressaltados seus efeitos agressivos ao organismo. 

Várias embalagens trazem orientações para não ingerir, evitar inalação, aspiração, contato com os olhos e pele, não reutilizar o frasco, lavar bem as mãos após o uso, não misturar com outros produtos, além de higienizar a área afetada com água corrente e procurar auxílio médico em caso de ingestão ou irritação. Tais recomendações demonstram que essas substâncias são fortes e que possuem componentes químicos prejudiciais à saúde. Mesmo assim, as orientações, que devem ser cumpridas à risca, estão escritas em letras tão pequenas que mal se pode enxergá-las. 

Embora as fórmulas mais fortes limpem com rapidez, o método de higienização antisséptica mais saudável continua sendo com água e sabão de pedra, neutro ou de coco. E é importante considerar também que mesmo que se ganhe tempo, dispensando o trabalho com a limpeza “pesada”, e que a casa fique tão reluzente quanto perfumada graças ao leque de limpadores e desodorizantes de ambiente, não chegamos a imaginar qual será o destino do acúmulo de substâncias químicas a que recorremos sem cessar ao lavarmos com detergentes industrializados.

Outra questão a ser abordada é o “cheiro de limpeza”. Para ficar mais agradável, colocam-se aromas que vão “maquiar” o efeito agressivo da emanação química. Essas fragrâncias não são naturais e não devemos nos sentir como se estivéssemos em uma plantação de lavanda, espremendo limão ou em um bosque de eucaliptos. O “cheirinho de limpeza” está apenas “mascarando” o problema.

Durante a limpeza, o recomendado é usar luvas de borracha, óculos ou máscaras como as utilizadas na construção civil, que protegem contra a fumaça e poeira. Todo esse material diminui os efeitos prejudiciais à saúde de quem trabalha, mas não evita danos aos que moram na casa, principalmente, as crianças, idosos e pessoas sem vitalidade. Depois de limpo, o local deve ser arejado, totalmente aberto e, se possível, ventilado por algumas horas.

Outros produtos que não são de limpeza, mas que merecem o mesmo cuidado são as colas de fórmica, tintas a óleo, graxas, solventes, acetona e outros derivados de petróleo. Eles exalam gases como o benzeno, que são tóxicos ao nosso organismo.  Os inseticidas, repelentes e aerossóis são muito agressivos e merecem toda a atenção de quem os pulveriza, pois podem deixar um ambiente bem carregado de substâncias químicas prejudiciais ao nosso bem-estar. As embalagens desses produtos devem permanecer bem fechadas, longe do alcance crianças e fora das proximidades de fogões, geladeiras e alimentos. O ideal seria fora das cozinhas.

 
Como melhorar o ambiente em nossa casa?

Podemos começar com o uso de produtos mais naturais. Além de água e sabão, o vinagre é um excelente aliado para a limpeza “pesada”, por ser saudável e com ação desinfetante. Exala um cheiro forte, mas que se desfaz rapidamente. São eficazes na limpeza também o suco de limão, o bicarbonato de sódio com água quente e o álcool, que deve ser diluído. A cera, menos agressiva para pisos e assoalhos é a comercializada em forma de pasta, de carnaúba. Há outras fórmulas naturais preparadas com cera apícola, areia, fermentação láctea e tensoativos de óleos vegetais. O anil, por exemplo, é um ótimo clareador.

Alguns sintomas provocados por intoxicação de gases emanados por produtos de limpeza são: enjoos, dores de cabeça, vômitos, erupções, alergias, tosse, irritação e inflamação nos olhos e vias respiratórias, asma (exposição prolongada), eczemas, diminuição das defesas do organismo, queimaduras na pele, intoxicação, irritações cutâneas, perda de apetite e sonolência. Esses sintomas podem afetar também os animais domésticos.

O poder abrasivo dos produtos de limpeza nos nossos tecidos é tão intenso, que, ao se trabalhar durante muitos anos em contato com essas substâncias sem utilização de luvas, pode ocorrer, inclusive, a diminuição das impressões digitais. Alguns lustradores de pisos e móveis são tóxicos ou inflamáveis e contêm derivados de petróleo, nitrobenzeno e dietilenglicol. Com uma parte de suco de limão e duas partes de azeite de oliva ou vegetal, conseguem-se excelentes resultados, muito mais sadios.

Para tirar manchas, há também alternativas naturais como leite, vaselina, glicerina, creme de barbear, óleo de linhaça, entre outros. Um bom aroma de limpeza pode ser obtido com cascas de limão ou laranja, as quais devem ser levadas ao fogo em uma frigideira até que exalem o aroma cítrico, indo em seguida para o ambiente que foi limpo.

 O que tento passar para os leitores não é incutir um receio ao uso desses produtos, mas chamar a atenção para a precaução e uma mudança na forma de pensar em relação à limpeza geral da casa. O que nos parece mais trabalhoso pode significar mais qualidade de vida, saúde e bem-estar para todos na residência. É uma das formas de tratarmos a nossa casa como um lar, lugar totalmente aconchegante e saudável.

 
Fonte: Walter Alexandre Terapeuta holístico
Portal Minha Vida (www.minhavida.com.br)


Siga o SERRANOSSA!

Twitter: @SERRANOSSA

Facebook: Grupo SERRANOSSA




Curta o SERRANOSSA