Vida & Estilo
23/12/2018 15:00:00, escrita por SERRANOSSA

Dores podem estar ligadas ao seu estado emocional: fique atento!

Você já parou para pensar que aquela dor nas costas ou de cabeça persistente pode ter origem no seu estado emocional? Sim, isso é possível, como explica a psicóloga Rita Calegari: "Nosso corpo é um sistema único – a parte física e a emocional não estão desassociadas uma da outra – o que afeta o corpo mexe na emoção, o que afeta a emoção mexe no corpo".

A dor funciona como um mecanismo do corpo para passar uma mensagem, mostrar que algo não vai bem. "Sem a dor, nós prejudicaríamos muito mais nosso organismo pelo simples descuido. Imagine as luzes do painel do carro que indicam quando o motor está superaquecido. Esse recurso alerta a tempo o que deve ser corrigido antes de nos colocarmos em risco. A dor é o nosso 'sinal luminoso' para prestarmos atenção", conta Rita.

Quando a causa de uma dor é investigada, o especialista avalia vários sistemas que podem influenciar no seu surgimento. Por meio de exames, as possibilidades vão sendo descartadas até que se chegue ao diagnóstico. "Doenças podem ter diversas origens: vírus, bactérias, hereditariedade, processos inflamatórios, acidentes, má alimentação, mau uso de medicações e também estados emocionais nocivos. Somente um médico irá diagnosticar a causa da dor com segurança", reforça a psicóloga.

 


 

Estado emocional

Na presença do estresse, os músculos ficam tensos, causando dores específicas que, por sua vez, aumentam o cortisol no sangue, alterando o ritmo cardíaco. "Tudo isso altera o organismo de uma forma geral, inclusive a musculatura, ficando tensionada e refletindo-se em dor", ressalta Carlos Górios, ortopedista, que alerta que o processo inflamatório desse tipo de dor é diferente da reação do corpo após um trauma físico. 

Manifestação

A região cervical, torácica e principalmente a lombar são as mais afetadas. Isso se dá porque a coluna é responsável pela sustentação do corpo e por isso as costas acabam recebendo uma carga maior em situações de estresse e alterações do emocional. "Outro músculo que pode ser afetado é o que liga a coluna vertebral às pernas. Em situação de alteração emocional, com descarga de adrenalina, é tensionado, dificultando a postura e causando dor nas costas. Essa região é chamada de 'músculo da alma', segundo a medicina oriental", revela. 

 


Foto: Freepik

 

Tratamento

A terapia desse tipo de dor deve contar com uma abordagem multidisciplinar, que pode incluir médico, psicólogo, fisioterapeuta, educador físico, além de outros profissionais. “O tratamento inclui analgésicos e anti-inflamatórios, ‘antidepressivos’ (que na verdade seriam mais bem denominados como moduladores de serotonina e noradrenalina), anticonvulsivantes e opioides”, explica a psiquiatra Milene Busoli. Ela também destaca a atividade física como um fator essencial para a recuperação. “Em geral, atividades na água, pilates ou atividades mais intensas, desde que supervisionadas. Outros tratamentos incluem fisioterapia, acupuntura e massagem. A terapia em geral visa a adaptação e aceitação do quadro, e enfrentamento dos medos relacionados à atividade, retorno ao trabalho, bem como a sensação de culpa e inadequação”, finaliza.

 


 



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários deixados pelos leitores e adverte que o conteúdo pode ser reproduzido em reportagens. O teor das mensagens está sujeito a moderação.



Curta o SERRANOSSA