Vida & Estilo
04/06/2019 12:00:26, escrita por SERRANOSSA

Você sabia que existe um modo de conversar com bebês que os estimula a falar?

Portal Minha Vida

A ansiedade para que os bebês falem suas primeiras palavras é comum entre muitos pais. O que nem todo mundo sabe é que o modo como se estimula os pequenos faz diferença na aquisição da linguagem. Uma pesquisa norte-americana testou o uso de uma técnica que chamaram de "parentese", ou "língua dos pais" em tradução livre, com bebês a partir de seis meses. A conclusão foi que este conjunto de mudanças no modo como os pais conversavam com os filhos fez com que eles falassem mais palavras aos 14 meses.

O “parentese” envolve mudanças na hora de falar com o bebê, como por exemplo, abrir mais os olhos e levantar as sobrancelhas, fazer expressões faciais ou tons de voz  exagerados, utilizar vogais alongadas.

Pais de 77 bebês de seis meses foram divididos em dois grupos durante o estudo. Um desses grupos recebeu orientações de como usar a técnica. O outro, não. Aos 6, 10 e 14 meses, os bebês também foram monitorados por duas semanas com um dispositivo de gravação acoplado à sua roupa.

Para acompanhar o desenvolvimento das habilidades de linguagem dos bebês, os pesquisadores mediram o tempo que eles passavam balbuciando (falando sílabas e sons) ou falando palavras.
Os bebês das famílias que receberam orientação sobre o “parentese” balbuciavam 43% do tempo, enquanto isso acontecia durante 30% no outro grupo. Aos 14 meses, os pequenos do primeiro grupo conseguiam falar muito mais palavras do que o grupo de controle.

O estudo foi feito por cientistas da Universidade de Washington e publicado no jornal Developmental Science.


Estimulando o bebê a falar na rotina

“Quanto mais a criança for exposta à linguagem, melhor será para seu desenvolvimento”, afirma a fonoaudióloga Marcella Vidal. Por isso, aproveite para contar histórias, cantar músicas e dizer o que você está fazendo com ele na hora do banho, de dormir ou em outros momentos do dia. Pode parecer que o bebê não está entendendo nada, mas não se engane: o cérebro dele já está memorizando as palavras. “Por volta de um ano de idade, uma criança pode produzir ao redor de 10 palavras e compreender mais de 20”, afirma a fonoaudióloga Debora Befi-Lopes, coordenadora do Departamento de Linguagem da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia.



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários deixados pelos leitores e adverte que o conteúdo pode ser reproduzido em reportagens. O teor das mensagens está sujeito a moderação.



Curta o SERRANOSSA