Vida & Estilo
13/03/2020 11:00:37, escrita por SERRANOSSA

Hipnose Condicionativa no tratamento da ansiedade

A ansiedade é uma “amiga de infância” de Tainara, mas foi só depois de adulta que ela entendeu como essa relação influenciava a sua rotina. Tainara sempre se achou um pouco diferente dos colegas. Mais introspectiva, insegura, aflita por agradar. Era como se não se encaixasse em nenhum grupo e como se nenhum amigo fosse realmente verdadeiro. Veio a adolescência, a explosão hormonal, depois os desafios da faculdade e da vida adulta. Aos 25 anos, Tainara se deu conta de que faltava algo. 

 


Foto: Freepik



Inquieta, começou a pesquisar sites sobre autoconhecimento e a fazer testes de personalidade. Descobriu-se uma ansiosa crônica. Mas a descoberta foi além: analisando as próprias atitudes e sentimentos ela percebeu que a ansiedade dominava a sua vida e era a causa de uma série de inconvenientes, entre os quais insônia e transtornos alimentares – ora ela comia até a sensação de explodir, ora se metia em dietas loucas e restritivas que a faziam passar mal. No trabalho em um escritório de contabilidade, era tida como uma funcionária exemplar, mas a um custo alto: toda dedicação a mais que ela tinha impactava diretamente em menos tempo para si mesma. 


Determinada a mudar, ela procurou ajuda: medicamentos fitoterápicos, terapia, exercício físico... Comprou até um daqueles sacos de box e instalou na sala achando que dar uns socos de vez em quando a faria desacelerar. A ansiedade diminuiu um pouco, mas ela ainda se sentia afetada. Foi quando descobriu a hipnose condicionativa.


“A primeira sessão foi marcada pela insegurança. Eu respondi a um questionário com perguntas gerais sobre a minha vida, mas com o pé atrás. Eu não conseguia parar de pensar que poderia ser apenas mais um desses milagres que todo mundo diz que funciona, mas na verdade não dão certo”, comenta. Tainara decidiu tentar, apesar do receio inicial. “Achei que seriam aquelas sessões em que alguém te hipnotiza e te obriga a fazer o que você não quer, mas não tem nada a ver. Na verdade eu relaxei e dormi como há muito, mas muito tempo mesmo, eu não conseguia. Conforme eu fazia sessões, ia sentindo mais confiança e passei a  entender melhor porque eu me comportava daquela maneira. Eu fui me autoconhecendo e superou as minhas expectativas”, garante. Os resultados foram rápidos, em 10 sessões.


Tainara faz um alerta: “Funciona, mas é necessário que a pessoa queira mudar mesmo. É como ir para a terapia e não contar a verdade para o psicóloga. Você precisa se abrir para superar. Durante o processo eu descobri que a minha ansiedade estava diretamente ligada a alguns traumas da minha infância, especialmente na relação com a minha mãe. Não foi preciso reviver nenhum deles, o que me deixou muito tranquila e feliz. Hoje eu sou uma nova pessoa graças à hipnose condicionativa e indico para quem quer realmente melhorar”, detalha.

 

Como funciona
A Hipnóloga Condicionativa Adriele Sopelsa, de Garibaldi, diz que os resultados variam de pessoa para pessoa, mas que, em geral, a diferença começa a ser percebida a partir da terceira sessão. Essa rapidez nos resultados é possível porque através da hipnose condicionativa ocorre uma “limpeza” de bloqueios e traumas. “Muitos destes traumas ocorreram na concepção, gestação, nascimento ou em qualquer fase de vida. Na maioria das vezes, a pessoa não sabe o motivo pelo qual tem ansiedade ou qualquer outro tipo de problema, nesse caso, possivelmente existam traumas inconscientes, ou seja, ela não tem lembranças dos mesmos. A Hipnose Condicionativa trabalha a(s) causa(s) desse problema, ou seja, os traumas conscientes (aqueles do qual a pessoa tem lembrança) e inconscientes, sem necessidade de reviver e sofrer novamente aquela determinada situação. Além disso, o paciente recebe inúmeros condicionamentos positivos para ficar mais calma, ter um sono reparador, melhorar a autoestima, ter mais disposição, praticar atividades físicas, ter uma alimentação mais saudável, consequentemente, melhorando a qualidade de vida.  Durante a sessão, não é necessário que a pessoa se exponha, relatando seus sentimentos ou falando, é preciso apenas ouvir aquilo que está sendo dito pela terapeuta. A hipnose condicionativa não tem o objetivo de descobrir a causa que originou o problema, mas solucioná-lo, recondicionando o paciente para novas maneiras de agir e viver”, explica.




Curta o SERRANOSSA