• Envase
  • Vinícola Garibaldi
  • Ótica Debianchi Lente em Dobro
  • Naturepet Pharma

“O Brasil adoeceu”, afirma Barroso após ataques em Miami

  • Posto Ravanello
  • Envase
  • Vinícola Garibaldi
  • Debianchi
  • Naturepet Pharma

No aeroporto da cidade norte-americana, o ministro do STF foi chamado de “ser vergonha” e “ladrão”

Foto: Agência Brasil/Acervo

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso divulgou uma nota oficial comentando sobre a agressão verbal que sofreu no aeroporto de Miami na última segunda-feira, 02/01. Em vídeos que circulam nas redes sociais, é possível ouvir as pessoas gritando “sai do voo” e vaiando o magistrado. Barroso também foi chamado de “sem vergonha” e “ladrão”.

Na nota, Barroso destaca o perigo do discurso de ódio que se instalou no país nos últimos anos. “É uma mistura de ódio, ignorância, espírito antidemocrático e falta de educação. O Brasil adoeceu. Espero que consigamos curá-lo e que uma luz espiritual ilumine essas pessoas”, disse no comunicado.

Pelas redes sociais, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino (PSB), afirmou que enviaria ofício à presidente do STF, ministra Rosa Weber, para disponibilizar a Polícia Federal (PF) para investigar este e outros ataques à ministros. “São extremistas antidemocráticos, que perseguem magistrados nas ruas, aeroportos, restaurantes etc”, escreveu no Twitter.

Outros casos

Em 15 de novembro de 2022, enquanto visitavam a cidade de Nova Iorque para participar de uma conferência, os ministros Luiz Roberto Barroso, Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Alexandre de Moraes receberam dos manifestantes xingamentos de “corruptos”, “bandidos” e que eles estavam” ajudando a acabar com o Brasil”.

Barroso foi abordado por uma mulher na Times Square, uma das principais ruas da cidade, que afirmava “a gente vai ganhar essa luta. Cuidado, hein, o povo brasileiro é maior que a Suprema Corte.”

*Com informações de Correio Braziliense