• Naturepet Pharma
  • Ótica Debianchi Lente em Dobro
  • Vinícola Garibaldi
  • Envase

“Pensei que Bolsonaro ia morrer”, diz presidente do PL, sobre derrota nas eleições

  • Debianchi
  • Envase
  • Naturepet Pharma
  • Vinícola Garibaldi
  • Posto Ravanello

Bolsonaro teria dito para Valdemar Costa Neto que ficava até cinco dias sem comer

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O presidente do PL, Valdemar Costa Neto, em entrevista à rádio CBN, na última sexta-feira, 20/01, afirmou que chegou a pensar que Bolsonaro fosse morrer ao ver o estado em que ele estava após a derrota para Luiz Inácio Lula da Silva (PT), na última eleição presidencial.

Valdemar disse que ficou impressionado com o abatimento do ex-presidente. “Quando acabou a eleição, eu fiquei surpreso. No dia seguinte, eu não quis ir vê-lo. Ele mandou me chamar, eu fui e fiquei impressionado com como ele estava abatido. Na semana seguinte, cheguei a pensar que o Bolsonaro fosse morrer, ao ver o estado que ele estava. Passadas algumas semanas, ele melhorou”, declarou.

Valdemar também contou que reforçou sua preocupação com o assessor do ex-presidente. “Ele explicou que estava sem comer. Ficava quatro, cinco dias sem comer. Cheguei a avisar o assessor dele: ‘O Bolsonaro vai morrer’.”

Culpa é do governo atual

Valdemar também afirmou, referindo-se aos atos ocorridos em Brasília, no dia 08/01, que a culpa do é do atual governo. “A culpa de tudo isso é do governo atual. São eles quem mandam no Exército, nas polícias e isso aconteceu. Não tinha policial suficiente para defender os prédios federais”, afirmou.

O presidente do PL também disse que haviam extremistas infiltrados. “Bolsonarista de verdade é família, não gosta disso, ficou pedindo para que não se quebrasse nada. Havia extremistas infiltrados”, afirmou.