• Envase
  • Vinícola Garibaldi
  • Posto Ravanello
  • Naturepet Pharma
  • Debianchi

Polícia Civil prende 17 pessoas durante operação de repressão ao tráfico na Serra

  • Vinícola Garibaldi
  • Naturepet Pharma
  • Envase
  • Ótica Debianchi Lente em Dobro

Ainda durante a ação foram apreendidos 22 quilos de cocaína, quatro quilos de maconha e dois veículos. Os policiais ainda cumpriram 14 mandados de busca e apreensão

Fotos: Polícia Civil

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Polícia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) de Caxias do Sul e apoio operacional das Delegacias de Polícia da 8º Região Policial, na manhã desta quarta-feira, 28/02, deflagrou a 2ª Fase da Operação Matriz, desarticulando um grupo criminoso responsável pelo tráfico de drogas e atentados violentos na região da Serra Gaúcha.

Dezessete pessoas foram presas, sendo 16 prisões preventivas e uma prisão em flagrante por tráfico de drogas. Foram apreendidos 22 quilos de cocaína, quatro quilos de maconha e dois veículos. Os policiais ainda cumpriram 14 mandados de busca e apreensão.

Durante coletiva de imprensa, o Chefe de Polícia, Delegado Fernando Sodré, destacou o resultado da ação. “É importante destacar que com o trabalho integrado, juntamente com a Brigada Militar, Polícia Penal e Instituto Geral de Perícias, estamos enfrentando esses homicídios desde que eles começaram a subir.  A partir do dia 15 de janeiro, contando com as prisões de hoje, já temos 85 pessoas presas. Todas elas possuem envolvimento com homicídios e tráfico de drogas”, afirmou.

O Diretor da 8ª Delegacia de Polícia Regional de Caxias do Sul, Delegado Augusto Cavalheiro Neto, ressaltou que “essa investigação visou apurar e investigar uma organização criminosa com ramificação na Serra Gaúcha, mas que tem sua origem em Porto Alegre, no bairro Bom Jesus. Essa organização é responsável por uma série de atos de tráfico de drogas e homicídios na cidade. São indivíduos que exerciam funções de liderança, armazenamento e gestão financeira da organização. Vamos continuar ininterruptamente, em um esforço concentrado, com ações para sufocar as organizações criminosas, não apenas com pena de prisão, mas com confisco de bens e asfixia financeira”.

Entenda o caso

Após cinco meses de investigação, foram identificados os principais líderes e membros do grupo, que operavam de forma organizada e articulada na Serra Gaúcha. Os líderes coordenavam as atividades ilícitas e gerenciavam o tráfico de drogas na região de dentro do sistema prisional. 

Além dos líderes, outros integrantes do grupo foram identificados, cada um desempenhando um papel específico na cadeia de distribuição e comercialização de entorpecentes. A investigação revelou que o grupo operava de maneira complexa, envolvendo logística, armazenamento, fracionamento e distribuição de drogas em larga escala.

Além disso, os membros do grupo utilizavam contas bancárias, veículos e residências para ocultar e movimentar os lucros do tráfico. Foi constatado também que o grupo utilizava de violência ou “atentados” para conquistar territórios de grupos rivais ou de traficantes independentes.

Na primeira fase da Operação Matriz, realizada em novembro de 2022, a ação resultou nas prisões preventivas de oito integrantes do grupo criminoso e apreensão de uma arma de fogo.

O resultado das duas fases representam um golpe significativo contra o crime organizado na região serrana, demonstrando o compromisso das autoridades em combater as organizações criminosas e garantir a segurança da comunidade.

O saldo total das ações da Operação Matriz, nas suas duas fases, contabiliza 28 prisões realizadas e cumprimento de 33 mandados de busca e apreensão. Durante as ordens judiciais, foram apreendidos 22 quilos de cocaína, quatro quilos de maconha, diversas porções de crack, uma arma de fogo e quatro veículos.