• Vinícola Garibaldi

Policias penais gaúchos integram Força Penal Nacional no Rio Grande do Norte

  • Vinícola Garibaldi
  • Posto Ravanello

Os servidores atuarão em atividades como preservação da ordem pública, treinamentos e capacitações

Foto de Rafa Marin/Ascom Polícia Penal

Cinco operacionais da Polícia Penal gaúcha passaram a integrar a Força Penal Nacional (FPN) em Mossoró. Os servidores penitenciários embarcaram para o município do Rio Grande do Norte, no Aeroporto Salgado Filho, na madrugada da última quinta-feira, 29/02. Representam a Instituição um integrante do Grupo de Ações Especiais e quatro dos Grupos de Intervenção Rápida das 1ª, 3ª, 6ª e 9ª regiões penitenciárias. 

Os servidores atuarão em atividades como preservação da ordem pública, treinamentos e capacitações. Também podem intervir, de forma articulada com representantes da polícia penal federal e de outros estados, em situações de grave crise em unidades prisionais, em caso de necessidade. A previsão é de que permaneçam na FNP por, pelo menos, 30 dias, com possibilidade de prorrogação do prazo. 

Essa é a segunda equipe da Polícia Penal gaúcha a integrar a FPN. Em dezembro, outros cinco servidores penitenciários embarcaram para Recife (PE) e, atualmente, estão em Brasília (DF), onde atuam na segurança preventiva do Presídio Federal da capital do País.

A participação da Polícia Penal gaúcha na FPN, aponta o superintendente dos Serviços Penitenciários, Mateus Schwartz, demonstra a capacidade de articulação entre as instituições envolvidas com a segurança e a administração do sistema prisional, em nível nacional.

“O trabalho integrado entre as polícias penais de diferentes estados vem apresentando resultados importantes na manutenção da ordem e disciplina nos estabelecimentos penitenciários e no combate à criminalidade. A participação de dez servidores da nossa Instituição também evidencia a qualificação técnica das nossas equipes táticas, do Grupo de Ações Especiais (Gaes) e dos Grupos de Intervenção Rápida das dez regiões penitenciárias”, comenta.