Saiba quanto de recursos financeiros cada candidato ao governo do RS já recebeu

A principal fonte de recursos parte dos próprios partidos, através do Fundo Eleitoral e Partidário, mais conhecido como Fundão

Os 10 candidatos ao governo do Rio Grande do Sul

Há uma semana das Eleições que irão decidir quem será o novo governador do Rio Grande do Sul – lembrando que poderá haver 2º turno em 30 de outubro – os candidatos ao posto têm investido pesado na campanha eleitoral. De acordo com a Justiça Eleitoral, todos os candidatos podem se promover até sábado, 1º/10, véspera do primeiro turno. Contudo, a propaganda eleitoral em televisões e rádios é permitida até quinta-feira, 29/09.

Durante o período de campanha, candidatos e seus partidos investem recursos para chegar ao máximo de pessoas, visando conquistar os votos. No site DivulgaCand, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), está disponível o quanto de recurso cada candidato já recebeu em sua campanha, além de informações como sua declaração de bens e em que serviços esses recursos foram investidos. Isso é obrigado a cada um deles, bem como divulgar quais foram as fontes desses recursos (doadores).

A maioria das fontes de dinheiro em campanhas políticas parte dos próprios partidos através do Fundo Eleitoral e Partidário, o Fundão, que nessas Eleições se aproximou dos R$ 5 bilhões.

Abaixo, confira quanto de recurso financeiro cada candidato ao governo do Rio Grande do Sul já declarou ter recebido.

Argenta (Democracia Cristã) – R$ 6.533.671,50

Carlos Messalla (PCB) – R$ 9.180,26

Edegar Pretto (PT) – R$ 4.508.126,26

Eduardo Leite (PSDB) – R$ 7.142.150,00

Luiz Carlos Heinze (PP) – R$ 3.946.800,00

Onyx Lorenzoni (PL) – R$ 10.013.785,54

Rejane de Oliveira (PSTU) – R$ 44.450,00

Ricardo Jobim (Novo) – R$ 179.655,33

Vicente Bogo (PSB) – R$ 411.400,00

Vieira da Cunha (PDT) – R$ 5.255.518,18

Os dados completos desses e dos demais candidatos (deputados estaduais, federais, senadores e presidentes) podem ser acessados aqui.