• Vinícola Garibaldi

Sobe para 175 o número de mortos no RS após enchentes, aponta Defesa Civil

  • Vinícola Garibaldi

Os dois corpos encontrados são dos municípios de Teutônia e Agudo; ambos ainda não haviam registrado óbitos

Sobe para 175 o número de mortos no RS após enchentes, aponta Defesa Civil
Foto: Rafa Neddermeyer/Agência Brasil

Mais duas mortes relacionadas às enchentes que devastaram o Rio Grande do Sul foram registradas na segunda-feira, 10/06, informou a Defesa Civil estadual, elevando o número de mortos para 175 no total.

Os dois corpos, ainda não identificados, foram encontrados em Teutônia, no Vale do Taquari, e em Agudo, na região central, próximo à Santa Maria. Até então, nenhum dos dois municípios havia confirmado óbitos em decorrência das chuvas. Ainda há 38 pessoas desaparecidas, de acordo com o governo do Estado.

Bento Gonçalves tem 11 mortes confirmada, segundo a Defesa Civil:

  • ALICE ESTIVALET SANTOS
  • ANILTON DE OLIVEIRA SANTOS
  • ARTEMIO COBALCHINI (o Neco)
  • AVELINO MARCHIORI
  • IVONETE MARIA COBALCHINI
  • LUIS CARLOS SCHUTKOVSKI
  • MATEUS TANSINI
  • ROMUALDO FRANCO
  • EVA VALIATTI MARCHIORI
  • NATÁLIA COBALCHINI
  • SANDRA MARIA PASSARIN PRUDÊNCIO

A prefeitura de Bento contabiliza a morte de CATHARINA RIZZARDO BELLÉ, que ocorreu na Linha Buratti. Para a Defesa Civil, a morte é de Farroupilha.

Quatro pessoas seguem desaparecidas na Capital do Vinho. As buscas estão concentradas na Linha Imaculada Conceição e na localidade de Passo Velho. São elas:

  • CARINE MILANI
  • ISABEL VELERE ANTONELLO GALLON
  • LOURDES HELENA LAZARINI
  • NELSA FACCIN GALLON

Após 40 dias desde o início da catástrofe climática, o Rio Grande do Sul ainda tem 478 municípios afetados e mais de 423,4 mil pessoas desalojadas de suas casas. Outras 18,8 mil seguem em abrigos provisórios. O número de pessoas afetadas pelas enchentes de alguma forma ultrapassa 2,3 milhões, o que dá cerca de 20% da população do estado.

Novas chuvas 

Um alerta da Defesa Civil prevê o retorno de chuvas intensas no estado entre os próximos dias 14 e 17 de junho. Segundo as autoridades, os modelos de previsão indicam que os volumes acumulados para o período devem ficar entre 50 milímetros (mm) e 120 mm na região das Missões, Centro e Noroeste. Já em Porto Alegre, região metropolitana, Vales e Serra, os volumes podem variar entre 45mm e 75 mm.

“Ainda permanece a condição de um novo bloqueio atmosférico no Brasil central, que deve fazer com que frentes frias e instabilidades fiquem atuando no sul do país”, diz informe da Defesa Civil emitido no último domingo, 09/06.