• Vinícola Garibaldi

Sobrinho de Bolsonaro, Léo Índio é alvo de buscas da Polícia Federal

  • Vinícola Garibaldi
  • Posto Ravanello

A operação foi autorizada pelo ministro do STF, Alexandre de Moraes

Foto: Redes sociais

A Polícia Federal (PF) tenta prender, nesta quarta-feira, 25/10, mais cinco suspeitos de envolvimento nos atos de 08 de janeiro, quando um grupo invadiu e danificou os prédios do Congresso Nacional, do Supremo Tribunal Federal (STF) e o Palácio do Planalto, em Brasília.

Além dos mandados de prisão preventiva, a PF cumpre também, 13 ordens de busca e apreensão contra 12 suspeitos, em quatro Estados brasileiros. A operação foi autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes.

A GloboNews apurou que Léo Índio, primo de três filhos do ex-presidente Jair Bolsonaro, está entre os alvos de buscas.

Esta é a 19ª fase da operação Lesa Pátria, iniciada ainda em janeiro. A etapa atual mira tanto os participantes dos atos quanto os incentivadores da ação.

Léo Índio

No dia das invasões, em 08 de janeiro, Léo Índio publicou imagens em sua rede social em cima do Congresso Nacional e próximo ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Em uma das publicações, ele aparece com os olhos vermelhos, segundo ele, devido ao gás lacrimogêneo usado pela Polícia Militar.

Léo Índio, que se descreve em suas redes sociais como sobrinho de Bolsonaro, foi candidato pelo PL à Câmara Legislativa do Distrito Federal em 2022, mas não foi eleito. Ele também atuou como assessor do senador Chico Rodrigues (União-RR).