• Vinícola Garibaldi

Vereador de Nova Prata é cassado por irregularidades em diárias após viagem para a Itália

  • Vinícola Garibaldi

Dilso Cassol (PRD) teve a perda do mandato aprovada por unanimidade

Foto: Câmara de Vereadores de Nova Prata/Divulgação

A Câmara de Vereadores de Nova Prata cassou, na segunda-feira, 18/12, o mandato do vereador Dilso Cassol (PRD), após processo de cassação que o acusou de desvio com diárias em uma viagem para a Itália.

Antes da sessão, Cassol chegou a entregar uma carta de renúncia, mas como o processo já estava em andamento, foi necessário fazer a votação da cassação em plenário.

Dilso Cassol teve a perda do mandato aprovada por unanimidade. O suplente João Carlos Paim (PRD) assume a vaga na Câmara a partir de 2024.

Entenda

Cassol teria recebido diárias da Câmara de Vereadores no valor de R$ 15 mil para uma viagem à Itália em que faria participação em um evento. O presidente do Legislativo, Gilmar Peruzzo (MDB), explica que após o retorno é preciso prestar contas, comprovando a viagem, apresentando notas de hotel, alimentação e participação no evento. Contudo, o ex-vereador Vinício Reinelli (PV), identificou irregularidades e fez a denúncia no Legislativo.

A comissão processante entendeu como procedente a denúncia de que havia incongruências na prestação de contas, e, após cerca de dois meses de investigações, recomendou ao plenário a cassação de Dilso Cassol.

A partir de agora, o caso será encaminhado ao Ministério Público e à Justiça Eleitoral, que devem determinar a perda dos direitos políticos de Cassol por oito anos. Além disso, a Câmara pede a restituição dos valores utilizados indevidamente pelo vereador cassado.