Chuva retorna com força ao Rio Grande do Sul a partir de sábado, 15/06

Na Serra Gaúcha, o domingo, 16/06, deve ser chuvoso e com ventos fortes

Chuva retorna com força ao Rio Grande do Sul a partir de sábado, 15/06
Foto: Divulgação/Defesa Civil

A chuva vai voltar a castigar o Rio Grande do Sul nos próximos dias, é o que indica Defesa Civil do Estado.

No sábado, 15/06, uma região de baixa pressão aliada ao fluxo de umidade vindo do norte, favorece a chuva moderada a forte, acompanhada de descargas elétricas em grande parte do RS. Na Campanha, Sul, Missões e Centro, há risco de eventual queda de granizo e rajadas de vento de até 70 km/h. Os acumulados ficam em torno dos 20 aos 30 mm/dia. Antes das chuvas, os ventos sopram em áreas da metade Norte e Centro do Estado, com rajadas entre 30 e 55 km/h.

No domingo, 16/06, com a atuação da baixa pressão, fluxo de umidade vindo do norte e formação de uma frente fria, as chuvas serão intensas sobre as Missões, Noroeste, Centro, Vales, RMPOA, Costa Doce, Litoral Médio e Norte e Serra Gaúcha. Os volumes variam entre 40 e 70 mm/dia. Há condição de ventos pontualmente fortes enquanto as instabilidades atuam, podendo passar dos 60 km/h e ventos constantes com rajadas na casa dos 50 km/h na metade Sul do Estado.

Na segunda-feira, 17/06, com a frente fria semi-estacionária atuando na faixa Norte do Estado, as chuvas ainda tendem a seguir intensas. Os acumulados devem ficar em torno dos 60 aos 125 mm/dia no Noroeste, Centro-Norte, Serra gaúcha e áreas próximas à Santa Catarina. Os ventos seguem atuando na metade Sul do Estado, com velocidades de até 45 km/h.

Na terça-feira, 18/06, as instabilidades tendem a seguir atuando sobre as regiões as Missões, Noroeste, Centro-Norte e Nordeste, com acumulados entre 60 e 90 mm/dia. A tendência é que, na quarta-feira, 19/06, as instabilidades e chuvas voltem a se intensificar sobre grande parte do Rio Grande do Sul.

“A Defesa Civil do RS já está articulando junto às prefeituras a adoção de medidas preventivas, especialmente em locais com pequenos rios, córregos e sistemas de escoamento que demandem manutenção e limpeza em razão dos eventos meteorológicos anteriores, permitindo a adequada vazão e escoamento dos eventuais volumes de chuvas que possam ocorrer. Também pode ocorrer lenta elevação de rios principais, além de alagamentos pontuais. Também está orientando os municípios a verificarem as áreas de risco propensas a movimentos de massa, para que as medidas preventivas dos Planos de Contingência municipais possam ser adotadas oportunamente”, diz o comunicado.