• Vinícola Garibaldi

De deputado estadual a vice-governador, Gabriel Souza enfrenta seu maior desafio

  • Vinícola Garibaldi

Médico veterinário por formação, Souza, que tem 39 anos e duas passagens como deputado estadual do Rio Grande do Sul, terá papel importante e crucial no segundo governo Eduardo Leite

Foto: Joel Vargas

Nesta semana, o Rio Grande do Sul teve um novo governador, mesmo que momentâneo. Durante a viagem de Eduardo Leite (PSDB) para a Suíça, onde participou do Fórum Econômico Mundial de Davos, seu vice-governador, Gabriel Souza (MDB), assumiu o cargo em exercício. Mesmo jovem, com 39 anos completos recentemente, Souza é experiente na política, no jogo político e, agora, vive o seu maior desafio da carreira: estar à frente da governança de um estado diverso, rico e com problemas crônicos como o Rio Grande do Sul.

Natural de Tramandaí, no litoral gaúcho, Gabriel é médico veterinário por formação. É casado e pai de uma menina de cinco anos. Em 2010, iniciou na carreira política de forma tímida, como suplente do MDB à Assembleia Legislativa, tendo 26.895 votos, sendo um número expressivo para um ‘novato’. Quatro anos depois, o emedebista conseguiu se eleger deputado estadual pela primeira vez com 39.998 votos, repetindo o feito em 2018, quando chegou à marca de 52.953 votos conquistados. E a crescente de Souza não ficou limitada ao número de eleitores a cada pleito, mas também na ocupação de cargos importantes dentro da Assembleia. O auge foi em 2021, quando chegou à presidência da Casa Legislativa.

Segundo o vice-governador, que até recentemente atuava como fiscalizador do governo estadual, o período enquanto deputado lhe deu uma visão mais completa da governança. “São experiências que me permitem visualizar todo o processo que envolve os poderes Executivo e Legislativo e que são fundamentais para a elaboração e implantação das políticas públicas”, afirma em entrevista ao SERRANOSSA.

Para Souza, todos os cargos que desenvolveu enquanto deputado lhe deram uma base para realizar boas e necessárias discussões. “Além disso, todas as funções que ocupei na Assembleia Legislativa – como deputado estadual, líder da bancada do MDB, presidente da Comissão de Constituição, líder do Governo, titular das comissões de Saúde e Meio Ambiente e de Finanças, Planejamento, Fiscalização e Controle, e presidente da Frente Parlamentar em Defesa das Universidades Públicas, Privadas e Comunitárias do RS – me propiciaram vivenciar situações com base no diálogo e na construção coletiva – características que seguirão sendo essenciais nestes quatro anos que teremos pela frente.”

O futuro será ao lado de Eduardo Leite, que já chegou a ser seu adversário político. Antes da definição da chapa Leite-Souza, o ex-deputado estadual era o nome do MDB para concorrer ao Palácio Piratini. Contudo, em 31 de julho de 2022, durante a Convenção Estadual do MDB-RS, a maioria dos delegados do partido decidiram que, naquele momento, a melhor opção era seguir como vice de Leite. E deu certo, pois a chapa passou para o segundo turno e saiu vitoriosa das eleições de 30 de outubro de 2022.

Elogiando as gestões de José Ivo Sartori (MDB) e do primeiro governo Leite, Souza afirma que o trabalho continuará o mesmo, objetivando o bem-estar dos gaúchos. “Iniciamos no dia 1º de janeiro um novo governo, mas seguimos cuidando do Rio Grande com o mesmo compromisso das duas gestões anteriores. De minha parte, espero contribuir de forma estratégica”, destaca.

E uma das formas de participação que Souza desenvolverá no governo será via “Gabinete dos Projetos Especiais”, anunciado no último dia 12 de janeiro, durante a primeira reunião de secretariado. O escritório será comandado pelo vice-governador e abrange seis projetos já realizados e novidades. São eles: South Summit, Qualificação de Professores, Primeira Infância, Jovem Aprendiz, Todo Jovem na Escola e Operação RS Verão Total.

Foto: Joel Vargas

“Fui designado pelo governador Eduardo Leite para coordenar este novo Gabinete e irei conduzir o trabalho de forma transversal, envolvendo todo o Governo. O gabinete será responsável por supervisionar e coordenar o planejamento, a implantação e a execução dos programas e projetos especiais, mas sempre como uma área meio e não fim – como são as secretarias. Também deverá orientar e apoiar as pastas e órgãos envolvidos, buscando a gestão integrada com foco na entrega. E, por fim, monitorar e avaliar os andamentos e os diagnósticos quanto aos programas e projetos realizados pelo Estado”, explica Souza.

De acordo com o vice-governador, todos os projetos, de alguma forma, estão conectados com os eixos estabelecidos no plano de governo: I – Eixo Social e da Qualidade de Vida II – Eixo Ambiental e de Infraestrutura III – Eixo Econômico Dois eixos dão sustentação 6 | plano de governo plano de governo | 7 aos demais: IV – Eixo de Gestão V – Eixo Fiscal.

Assim como destacado por Eduardo Leite durante toda a campanha eleitoral, Souza afirma que a educação será uma prioridade. “O objetivo é que possamos, por meio desse novo espaço, colaborar no empoderamento de algumas pautas, em especial naquelas relacionadas à prioridade número um para todos nós que é a educação. Na primeira infância, por exemplo, a ideia é revisar e melhorar as ações e programas de proteção às crianças para combater a pobreza e garantir um futuro de mais oportunidades a elas. Estudos mostram que a cada dólar aplicado nos primeiros seis anos de vida do indivíduo, há um retorno de até sete dólares para sociedade.  Porque é neste período que conseguimos promover uma formação melhor do ponto de vista emocional, comportamental e até biológico, já que o cérebro é desenvolvido nesta primeira fase.”

Além da primeira infância, outras faixas etárias da educação receberão investimentos. “[…] como o programa de formação de recursos humanos na área educacional em parceria com Universidades Comunitárias, a implementação do programa Jovem aprendiz e a análise de escopo e aprimoramento do programa Todo Jovem na Escola, que garante auxílio financeiro aos alunos da rede estadual no valor de R$ 150 mensais creditados no Cartão Cidadão da família. São atendidos estudantes de 15 a 21 anos, em um investimento total do governo do Estado de R$ 180 milhões até dezembro de 2022”, pontua.

Assembleia Legislativa

No próximo dia 1º de fevereiro, os 55 deputados estaduais assumem seus cargos na Assembleia Legislativa. Neste novo mandato, o governo estadual dependerá (e muito) da Casa Legislativa para aprovar projetos e dar seguimento a iniciativas. Segundo Souza, muita conversa será necessária entre as partes e o seu passado como deputado estadual poderá ajudar nessa troca.

“O diálogo seguirá sendo o foco principal para construirmos soluções e iniciativas pelo bem do Rio Grande. E isto está acima de qualquer sigla partidária ou ideologia pessoal. Temos compromisso com nossos mandatos e com o povo gaúcho acima de qualquer particularidade. Sempre baseei meu trabalho na busca pela convergência, nas discussões construtivas, com grande diálogo com todos os colegas do Parlamento e é assim que irei manter as relações como vice-governador.”

Secretariado

O governo Leite-Souza terá 27 secretários estaduais. 17 deles são homens e 10 secretarias serão comandadas por mulheres. A diversidade de rostos no corpo de secretários chama atenção, visto que cada vez mais a sociedade tem exigido que governos sejam compostos de forma mista, assim, representando de fato a diversidade da população. Na visão de Souza, o governo se preocupou em reunir pessoas capacitadas nas suas respectivas áreas, sendo a diversidade criada uma consequência.

“Temos um grupo muito vasto, técnico e extremamente capacitado nas suas respectivas áreas. Na abertura da nossa primeira reunião de secretariado, realizada no dia 12/01, o governador Eduardo Leite reforçou os conceitos do mapa estratégico do nosso governo, que tem como pilares Estado Sustentável; Governança e Gestão; Sociedade com Qualidade de Vida; e Desenvolvimento Empreendedor. A partir dessas diretrizes, a ideia é que possamos ampliar a integração entre as secretarias para atender os projetos prioritários e dar celeridade e eficiência nos resultados para a população, assim como a manutenção do equilíbrio fiscal já conquistado. Acredito que com esta composição plural teremos condição de evoluir nestes e outros itens”, afirma o vice-governador.

O governador Eduardo Leite e o vice-governador Gabriel Souza. Foto: Mauricio Tonetto/Palácio Piratini

Serra Gaúcha

Para o vice-governador, a Serra Gaúcha é uma região de extrema importância para o Rio Grande do Sul, sendo exemplo em áreas como as indústrias, o turismo e a agricultura. Ele garante que a região será atendida pelo governo estadual. “A Serra Gaúcha é uma região pujante e de extrema importância para o desenvolvimento do RS. Temos grandes potencialidades e oportunidades nas nossas cidades, como o turismo que fomenta a economia local, além das importantes indústrias já citadas. Acredito que, em linhas gerais, podemos destacar os investimentos em infraestrutura para colaborar com a logística de produtos e escoamento de produção, assim como já vem sendo feito na região.”

Souza dá um exemplo de melhorias já adotadas. “Nesta última quarta-feira [18/01], estive na região para inauguração da obra de remodelação da rotatória no entroncamento da RSC-453 com a RST-470, em Garibaldi. A intervenção vai proporcionar mais segurança aos condutores e pedestres que forem acessar os bairros do entorno, evitando retenção de veículos, congestionamentos e pontos de espera no local”, pontua.

Na quinta-feira, 19/01, representando o governo estadual, Souza participou da abertura do Bento em Vindima, na Capital da Uva e do Vinho.