• Debianchi
  • Naturepet Pharma
  • Vinícola Garibaldi
  • Posto Ravanello
  • Envase

Idoso encontra R$ 60 mil enterrados no quintal de casa e entrega para a polícia

  • Vinícola Garibaldi
  • Naturepet Pharma
  • Ótica Debianchi Lente em Dobro
  • Envase

“É o correto e o que veio na minha cabeça, pedi a orientação de Deus, foi ligar para a polícia, para investigar o caso, se achar que deve”, refletiu o idoso

Foto: Reprodução/TV TV Anhanguera)

Uma quantia de R$ 59,9 mil foi encontrada no sábado, 17/02, no quintal da casa do funcionário público aposentado Raimundo Soares Sobrinho. O dinheiro, separado com notas de R$ 100 e R$ 50, estava em um pote de sorvete, dentro de um saco preto, que estava atrás de alguns arbustos, no jardim de uma casa que o idoso comprou há cerca de seis meses na região norte de Palmas. 

Ao se deparar com a grande quantia e sem saber de quem seria aquele dinheiro, Raimundo sentiu-se nervoso e contou ter acionado a polícia imediatamente. “Eu tirei só a tampa, quando eu notei que era dinheiro, eu tampei e botei no mesmo local. Aí, retornei o pote para o mesmo local e entrei em contato com a polícia, exatamente para eles fazerem a investigação de onde foi que esse dinheiro surgiu”, afirmou.

A casa foi comprada, segundo Raimundo, para que sua filha morasse. “Ela (a filha) foi passar um dia lá em minha casa, em Itacajá (TO), a cidade onde eu moro. E ontem eu vim deixar ela, e quando amanheceu o dia cedo, eu fui dar uma limpeza nesse pequeno jardim que tem aqui na frente”, disse, em entrevista ao portal g1.

De quem era o imóvel

O aposentado comprou a casa, em agosto do ano passado, em negociação com Inêz Piva de Santana, mãe do ex-secretário de Estado de Saúde Afonso Piva, que perdeu o cargo no mesmo mês depois de ser investigado pela Polícia Federal (PF). Piva, segundo a PF, é suspeito de ter fraudado licitações na comprar de seringas a hospitais públicos do Tocantins.

Raimundo falou ter tido contato com a antiga proprietária apenas no dia em que ele assinou a transferência do imóvel. Meses depois a filha dele se mudou para a casa e vivia no local. Ao encontrar o pote de dinheiro, o aposentado confessou que ter acionado a polícia foi a atitude mais correta.

“É porque o dinheiro não é meu […] Não importa a quantia, só que não me pertence. Eu não poderia guardar o que não era meu. É o correto e o que veio na minha cabeça, pedi a orientação de Deus, foi ligar para a polícia, para investigar o caso, se achar que deve”, refletiu.

De quem era o dinheiro

O caso foi registrado na Polícia Civil, que contabilizou R$ 59,9 mil, e encaminhou o valor à perícia. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP). Ainda conforme informações do g1, a investigação do caso ficará a cargo da Polícia Federal. No sábado, a PF esteve na casa em busca de mais indícios. Não foi encontrado mais dinheiro, mas foram apreendidos vestígios de envelopes e mais alguns objetos – não detalhados – que serão periciados.

Fonte: Correio Braziliense